SÍNDROME DA DISFUNÇÃO COGNITIVA

 

DOENÇAS SITE (1)
O aumento na expectativa de vida em cães e gatos apresenta novos desafios à medicina veterinária.

Cuidados especiais com o paciente geriatra, garantindo sua saúde e bem-estar, cada vez mais se tornam uma realidade na clínica de pequenos animais.

Quando pensamos em geriatria, logo associamos esse período a alterações físicas, provenientes da redução nas funções fisiológicas, depressão do sistema imune e degenerações orgânicas.

No entanto, cães e gatos podem demonstrar alterações comportamentais paralelas às mudanças físicas.

A SDC é uma desordem neurodegenerativa progressiva com deterioração gradual de funções cognitivas, que não podem ser atribuídas completamente a condições médicas ou as disfunções sensoriais/motoras relacionadas ao envelhecimento.

A SDC pode ser sendo comparada à doença de Alzheimer em humanos. Onde ocorre a deposição amilóide em placas, levando a morte dos neurônios.

Os sinais mais comuns da SDC são:

  • Desorientação – o animal fica confuso em ambientes familiares ex; tenta sair pelo lado errado da porta, não consegue sair sozinho de um canto, se perde dentro de casa
  • Mudanças na interação com humanos ou outros animais: declínio nas brincadeiras, irritabilidade, menor afeição.
  • Alteração no ciclo do sono e vigília: o animal dorme durante o dia e passa a noite acordado, podendo vocalizar, perambular e acordar o proprietário.
  • Perda do treinamento, inclusive o higiênico: o animal desaprende, não sabe mais onde deve urinar e defecar e não responde mais os comandos.
  • Alteração do nível de atividades: menor interesse em exploração, estado de inatividade geral. Em alguns casos, ocorre o oposto, com grande aumento na atividade, perambulação e desenvolvimento de comportamentos compulsivos.
  • Além disso, pode ocorrer aumento da ansiedade, alterações de apetite, redução nos cuidados coma higiene, aumento da vocalização, intolerância ao exercício, surgimento de novos medos e fobias e comportamentos destrutivos.

O diagnóstico é realizado por exclusão de outros processos patológicos crônicos e sistêmicos, através de um criterioso exame clínico e exames complementares, como por exemplo tumores cerebrais.

Sabemos que com a velhice aparecem os  problemas renais, cardíacos, oculares, dentre outros e com eles a SDC. 

A severidade também é variável em cada animal, nem todos sintomas vão se manifestar ao mesmo tempo, mas algum sintoma desse acrônimo abaixo 60% dos cães/gatos acabam apresentando.

  • D (desorientation)
  • I (social interaction)
  • S (alteraction sleep – awake – cycle)
  • H (house soiling)
  • A (activity)
  • L (learning and memory)

Os objetivos do tratamento da SDC, são reverter a progressão da doença e repor os níveis de neurotransmissores ou facilitar seu metabolismo.

Como em toda doença neurodegenerativa progressiva, quanto antes for realizada uma intervenção, melhor o prognóstico.

Dicas:

  • Manter uma rotina de atividades consistente, tanto com os caninos como com os felinos
  • Rotina de interação com o tutor
  • Prevenir estresse e ansiedade
  • Manter uma comunicação clara e consistente
  • Facilitar acesso e locomoção
  • Enriquecimento cognitivo 

Não existe diagnóstico definitivo, somente pós mortem com histopatologia cerebral.

 

Referência Bibliográfica: Labyes. Envelhecimento em cães e gatos. Dra Joice Peruzzi

INTOXICAÇÃO POR BUFOTOXINAS EM CÃES
TUMORES MAMÁRIOS
FÍSTULAS PERIANAIS
PERIODONTIA / DOENÇA PERIODONTAL
HEPATITE INFECCIOSA CANINA
PARAINFLUENZA
CORONAVIROSE
ADENOVIROSE CANINA
OFTALMOLOGIA VETERINÁRIA
CELULITE JUVENIL CANINA
HIPERTERMIA MALIGNA
CARCINOMA/ADENOCARCINOMA/COLANGIOCARCINOMA DO DUCTO BILIAR
DISPLASIA RENAL
SÍNDROME DO OVÁRIO REMANESCENTE
FÍSTULA INFRAORBITÁRIA
FÍSTULA ORONASAL
CARCINOMA DE CÉLULAS ESCAMOSAS EM CÃES
COLAPSO TRANQUEIA
ESPIRRO REVERSO
HEMANGIOSSARCOMA
HEMANGIOMA CUTÂNEO CANINO
ODONTOLOGIA VETERINÁRIA
HIPOGLICEMIA
INSULINOMA
SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA VIRAL FELINA (FIV)
TRICOBEZOAR
VÕMITO CRÔNICO EM GATOS
NEOPLASIA PROSTÁTICA
PROSTATITES
CISTOS E ABSCESSOS PROSTÁTICOS
HIPERPLASIA PROSTÁTICA BENIGNA (HPB)
AFECÇÕES PROSTÁTICAS EM CÃES
CORONAVÍRUS FELINO
CISTITE IDIOPÁTICA FELINA (CIF)
TÉTANO
UROLITÍASE
DISQUERATINIZAÇÃO
DESVIOS (SHUNTS) PORTOSSISTÊMICOS CANINOS
HIGROMA
DOENÇA DO SACO ANAL
PEDICULOSE
ISOSPOROSE
TOXOPLASMOSE
HIPERADRENOCORTICISMO CANINO / SÍNDROME CUSHING
DOENÇA RENAL CRÔNICA
ARRITMIAS CARDÍACAS
INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA
BORDETELLA
CLAMIDIOSE
HEMOPARASITOSES EM GATOS
DERMATITE ATÓPICA CANINA / ATOPIA
DERMATITE ÚMIDA / ECZEMA ÚMIDO
HIPOADRENOCORTICISMO / DOENÇA DE ADDISON
HIPOTIREOIDISMO CANINO
PROBLEMAS NOS OLHOS
PERITONITE INFECCIOSA FELINA (PIF)
MASTOCITOMA
ENDOCARDITE BACTERIANA
LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
LARVA MIGRANS VISCERAL
LEPTOSPIROSE CANINA
DERMATOFITOSE / MICROSPORUM CANIS
DERMATITE ACRAL POR LAMBEDURA
PULICIOSE – PULGAS
DEMODICOSE CANINA/ SARNA DEMODÉCICA
DIROFILARIOSE
SARNA OTODÉCICA / SARNA DA ORELHA
SARNA SARCÓPTICA / ESCABIOSE CANINA
DIABETES MELLITUS
SÍNDROME DA DISFUNÇÃO COGNITIVA
FeLV – LEUCEMIA VIRAL FELINA
TRAQUEOBRONQUITE INFECCIOSA CANINA
DOENÇA DO TRATO URINÁRIO INFERIOR FELINOS
OTITES
RAIVA
GIARDÍASE
LARVA MIGRANS CUTÂNEA
CALICIVÍRUS FELINO
HERPESVÍRUS FELINO/RINOTRAQUEÍTE VIRAL FELINA
BOTULISMO
HIPERPLASIA ENDOMETRIAL CÍSTICA E PIOMETRA
DIPILIDIOSE
PARVOVIROSE
HEMOPARASITOSES EM CÃES
CINOMOSE