GIARDÍASE

É uma doença causada pelo protozoário Giardia lamblia, que pode infectar diversas espécies animais, além dos cães e também o homem.

Está espalhada por todo o Brasil e, desde 1979, a Organização Mundial de Saúde classifica a Giardíase como uma zoonose, isto é, uma doença que pode ser transmitida diretamente do animal para o homem.

O ciclo de vida da Giardia spp no cão é de 5 a 12 dias, e nos gatos de 5 a 16 dias.

A transmissão é fecal-oral, tanto os animais quanto os humanos se infectam pela ingestão dos cistos (“ovos”) da Giardia, que podem estar na água , alimentos contaminados e fezes.

É muito comum que a contaminação aconteça em locais muito frequentados por cães e a reinfecção é muito frequente, devido à dificuldade em remover os cistos (“ovos”) infectantes do ambiente.

Os sintomas dos animais infectados pela Giardíase Canina são gastrointestinais como fezes amolecidas ou diarreia pastosa com muco (muitas vezes com cheiro mais forte que o comum), vômitos, perda de peso, dores abdominais e letargia.  

Alguns cães, mesmo infectados, não apresentam qualquer sintoma característico, mas continuam eliminando cistos (“ovos”) no ambiente que podem contaminar crianças, adultos e outros animais.

Prevenção: a prevenção baseia-se principalmente na adoção de bons hábitos de higiene e limpeza sanitárias adequada, além da vacinação dos cães.

Tratamento: o tratamento de eleição para giardíase é com Fembendazol.

A vacinação atua para prevenir a infecção do animal, mas exerce papel terapêutico de tratamento para os cães que já estiverem infectados pelo protozoário.

Tratamento ambiental: recomenda-se a remoção das fezes do ambiente antes da sua lavagem, para que se evite a dispersão dos cistos e , com isso, aumentar a dificuldade da descontaminação do ambiente.

Limpeza do ambiente com compostos de amônio quaternário, água sanitária ou com água fervente também diminuem a infestação.

Apoio: Zoetis -Giardiavax / Agener União

giardia
HIPERTERMIA MALIGNA
CARCINOMA/ADENOCARCINOMA/COLANGIOCARCINOMA DO DUCTO BILIAR
DISPLASIA RENAL
SÍNDROME DO OVÁRIO REMANESCENTE
FÍSTULA INFRAORBITÁRIA
FÍSTULA ORONASAL
CARCINOMA DE CÉLULAS ESCAMOSAS EM CÃES
COLAPSO TRANQUEIA
ESPIRRO REVERSO
HEMANGIOSSARCOMA
HEMANGIOMA CUTÂNEO CANINO
PERIODONTIA
HIPOGLICEMIA
INSULINOMA
SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA VIRAL FELINA (FIV)
TRICOBEZOAR
VÕMITO CRÔNICO EM GATOS
NEOPLASIA PROSTÁTICA
PROSTATITES
CISTOS E ABSCESSOS PROSTÁTICOS
HIPERPLASIA PROSTÁTICA BENIGNA (HPB)
AFECÇÕES PROSTÁTICAS EM CÃES
CORONAVÍRUS FELINO
CISTITE IDIOPÁTICA FELINA (CIF)
TÉTANO
UROLITÍASE
DISQUERATINIZAÇÃO
DESVIOS (SHUNTS) PORTOSSISTÊMICOS CANINOS
HIGROMA
DOENÇA DO SACO ANAL
PEDICULOSE
ISOSPOROSE
TOXOPLASMOSE
HIPERADRENOCORTICISMO CANINO / SÍNDROME CUSHING
DOENÇA RENAL CRÔNICA
ARRITMIAS CARDÍACAS
INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA
BORDETELLA
CLAMIDIOSE
ERLIQUIOSE FELINA
BABESIOSE CANINA
BARTONELOSE FELINA /ARRANHADURA DO GATO
ANAPLASMOSE OU TROMBOCITOPENIA CÍCLICA
MICOPLASMA FELINA
FEBRE MACULOSA
DERMATITE ATÓPICA CANINA / ATOPIA
DERMATITE ÚMIDA / ECZEMA ÚMIDO
FISTULA PERIANAL
HIPOADRENOCORTICISMO / DOENÇA DE ADDISON
HIPOTIREOIDISMO CANINO
PROBLEMAS NOS OLHOS
PERITONITE INFECCIOSA FELINA (PIF)
MASTOCITOMA
ENDOCARDITE BACTERIANA
LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
LARVA MIGRANS VISCERAL
LEPTOSPIROSE CANINA
DERMATOFITOSE / MICROSPORUM CANIS
DERMATITE ACRAL POR LAMBEDURA
PULGAS
DEMODICOSE CANINA/ SARNA DEMODÉCICA
DIROFILARIOSE
SARNA OTODÉCICA / SARNA DA ORELHA
SARNA SARCÓPTICA / ESCABIOSE CANINA
DIABETES MELLITUS
SÍNDROME DA DISFUNÇÃO COGNITIVA
FeLV – LEUCEMIA VIRAL FELINA
TRAQUEOBRONQUITE INFECCIOSA CANINA
DOENÇA DO TRATO URINÁRIO INFERIOR FELINOS
OTITES
RAIVA
DOENÇA PERIODONTAL
GIARDÍASE
LARVA MIGRANS CUTÂNEA
CALICIVÍRUS FELINO
HERPESVÍRUS FELINO/RINOTRAQUEÍTE VIRAL FELINA
BOTULISMO
HIPERPLASIA ENDOMETRIAL CÍSTICA E PIOMETRA
DIPILIDIOSE
PARVOVIROSE
ERLIQUIOSE CANINA
CINOMOSE