HEMOPARASITOSES EM GATOS

DOENÇAS SITE (1)

1.MICOPLASMOSE FELINA

A Micoplasma Felina ou Hemoplasmose Felina, até recentemente denominada Hemobartonelose Felina, teve seu nome alterado devido à reclassificação do agente causador ; antes Haemobartonella haemofelis para Mycoplasma haemofelis.

As micoplasmas que parasitam as hemácias são denominadas micoplasmas hemotrópicas ou hemoplasmas.

É importante saber dessa particularidade pois existe um grupo de micoplasmas não-hemotrópicas que podem ser responsáveis por infecções do trato respiratório em felinos.

As hemoplasmas são bactérias atípicas, gram negativas. que parasitam as hemácias, podendo levar a um quadro de anemia hemolítica.

Espécies de Micoplasma já detectadas em gatos:

  • Mycoplasma haemofelis;
  • Mycoplasma haemominutum;
  • Mycoplasma turicensis;
  • Mycoplasma haematoparvum.

Gatos acometidos por Mycoplasma haemofelis, manifestam um quadro de anemia hemolítica que ocorre devido à destruição direta das hemácias pelo agente, pelo sistema mononuclear fagocitário.

É a mais patogênica e responsável pelos quadros mais clássicos de anemia hemolítica.

A transmissão das hemoplasmas esta associada a vetores como as pulgas da espécie Ctenocephalidaes felis,  brigas entre gatos sadios e contaminados e iatrogênica (transfusão sanguínea).

As manifestações clínicas variam:

  • anemia de grau moderado a grave;
  • anorexia;
  • perda de peso;
  • febre;
  • letargia;
  • esplenomegalia;
  • palidez de mucosas e/ ou mucosas ictéricas.

Muitos gatos são portadores.

Costuma estar em gatos já com alguma doença imunodepressora (FIV/ FeLV).

A intensidade dos sinais clínicos varia com a velocidade do estabelecimento da anemia.

Diagnóstico: Exames hematológicos e sorológicos 

Prognóstico: bom para casos não complicados

Profilaxia: eliminar as pulgas

 

2.ERLIQUIOSE FELINA

A Erliquiose Felina não esta totalmente elucidada, acredita-se que a transmissão da doença aconteça através de infecção natural por artrópodes ou ingestão de roedores infectados durante a caça.

As manifestações clínicas mais comuns são:  

  • febre;
  • inapetência;
  • perda de peso;
  • dispneia ;
  • letargia;
  • palidez de mucosas;
  • esplenomegalia;
  • linfoadenomegalia;
  • deslocamento de retina;
  • petéquias;
  • mucosas hipocoradas.

 Diagnóstico:

  • Alterações laboratoriais (anemia não regenerativa, leucopenia ou leucocitose, neutrofilia, linfocitose, monocitose, trombocitopenia e hiperglobulinemia)
  • PCR para Ehrlichia sp

 

3.BARTONELOSE FELINA ( DOENÇA DA ARRANHADURA DO GATO)

A bartonelose felina é uma doença infecciosa que raramente causa alterações significativas nos gatos, mas tem grande importância para a saúde pública por se tratar de uma zoonose, conhecida como “doença da arranhadura do gato”.

Embora muitas espécies de Bartonella spp possam infectar humanos e animais domésticos como os gatos, a Barttonella henselae é responsável por esta doença.

As bartonelas são bactérias gram negativas intracelulares que infectam as hemácias e células endoteliais.

O gato se infecta através da ingestão das fezes das pelgas da espécie Ctenocephalides felis.

A transmissão direta entre gatos é improvável, mesma pela via transplacentária.

A bacteremia geralmente tem caráter crônico ou intermitente raramente ocasionando sintomatologia clínica.

Os seres humanos se infectam pela inoculação da bactéria no foco da arranhadura e geralmente manifestam linfoadenopatia regional, próxima ao local da ferida.

 

Referência Bibliográfica:

Boletim Pet. Agener União. Volume 02/2015. Hemoparasitoses em cães e gatos.

Cadernos Universitários – ULBRA – Caderno de Medicina de Cães e Gatos

INTOXICAÇÃO POR BUFOTOXINAS EM CÃES
TUMORES MAMÁRIOS
FÍSTULAS PERIANAIS
PERIODONTIA / DOENÇA PERIODONTAL
HEPATITE INFECCIOSA CANINA
PARAINFLUENZA
CORONAVIROSE
ADENOVIROSE CANINA
OFTALMOLOGIA VETERINÁRIA
CELULITE JUVENIL CANINA
HIPERTERMIA MALIGNA
CARCINOMA/ADENOCARCINOMA/COLANGIOCARCINOMA DO DUCTO BILIAR
DISPLASIA RENAL
SÍNDROME DO OVÁRIO REMANESCENTE
FÍSTULA INFRAORBITÁRIA
FÍSTULA ORONASAL
CARCINOMA DE CÉLULAS ESCAMOSAS EM CÃES
COLAPSO TRANQUEIA
ESPIRRO REVERSO
HEMANGIOSSARCOMA
HEMANGIOMA CUTÂNEO CANINO
ODONTOLOGIA VETERINÁRIA
HIPOGLICEMIA
INSULINOMA
SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA VIRAL FELINA (FIV)
TRICOBEZOAR
VÕMITO CRÔNICO EM GATOS
NEOPLASIA PROSTÁTICA
PROSTATITES
CISTOS E ABSCESSOS PROSTÁTICOS
HIPERPLASIA PROSTÁTICA BENIGNA (HPB)
AFECÇÕES PROSTÁTICAS EM CÃES
CORONAVÍRUS FELINO
CISTITE IDIOPÁTICA FELINA (CIF)
TÉTANO
UROLITÍASE
DISQUERATINIZAÇÃO
DESVIOS (SHUNTS) PORTOSSISTÊMICOS CANINOS
HIGROMA
DOENÇA DO SACO ANAL
PEDICULOSE
ISOSPOROSE
TOXOPLASMOSE
HIPERADRENOCORTICISMO CANINO / SÍNDROME CUSHING
DOENÇA RENAL CRÔNICA
ARRITMIAS CARDÍACAS
INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA
BORDETELLA
CLAMIDIOSE
HEMOPARASITOSES EM GATOS
DERMATITE ATÓPICA CANINA / ATOPIA
DERMATITE ÚMIDA / ECZEMA ÚMIDO
HIPOADRENOCORTICISMO / DOENÇA DE ADDISON
HIPOTIREOIDISMO CANINO
PROBLEMAS NOS OLHOS
PERITONITE INFECCIOSA FELINA (PIF)
MASTOCITOMA
ENDOCARDITE BACTERIANA
LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
LARVA MIGRANS VISCERAL
LEPTOSPIROSE CANINA
DERMATOFITOSE / MICROSPORUM CANIS
DERMATITE ACRAL POR LAMBEDURA
PULICIOSE – PULGAS
DEMODICOSE CANINA/ SARNA DEMODÉCICA
DIROFILARIOSE
SARNA OTODÉCICA / SARNA DA ORELHA
SARNA SARCÓPTICA / ESCABIOSE CANINA
DIABETES MELLITUS
SÍNDROME DA DISFUNÇÃO COGNITIVA
FeLV – LEUCEMIA VIRAL FELINA
TRAQUEOBRONQUITE INFECCIOSA CANINA
DOENÇA DO TRATO URINÁRIO INFERIOR FELINOS
OTITES
RAIVA
GIARDÍASE
LARVA MIGRANS CUTÂNEA
CALICIVÍRUS FELINO
HERPESVÍRUS FELINO/RINOTRAQUEÍTE VIRAL FELINA
BOTULISMO
HIPERPLASIA ENDOMETRIAL CÍSTICA E PIOMETRA
DIPILIDIOSE
PARVOVIROSE
HEMOPARASITOSES EM CÃES
CINOMOSE