PULGAS

As pulgas são insetos hematófagos pequenos, sem asas.

A Ctenocephalides é a espécie parasita de cães e gatos.

As pulgas tem atividade o ano todo, mesmo no inverno.

PRIMAVERA: durante os meses de setembro, outubro e novembro, o aumento da temperatura e o incio de chuvas propiciam o aparecimento das primeiras pulgas saídas das pupas que hibernavam no ambiente. Fazer o controle das pulgas no animal e no ambiente é essencial.

VERÃO: dezembro, janeiro e fevereiro, o forte calor a alta umidade são condições extremamente propicias para que aconteça uma nova proliferação de pulgas.

OUTONO: durante os meses de março,abril e maio, geralmente nos descuidamos do controle e as pulgas menos visíveis, mas em franca atividade aproveitam para reinfestar o ambiente

INVERNO: durante os meses junho, julho e agosto as pulgas praticamente desaparecem, mas as larvas que conseguiram transformar-se em pupas hibernarão até a primavera.

 FIQUE POR DENTRO:

  • Uma única pulga durante sua vida  põe 2000 (dois) mil ovos capazes de reinfestar o ambiente
  • Cada pulga pode picar seu animal 400 vezes por dia
  • As pulgas são responsáveis por transmitir um verme comum em cães e gatos chamado de Dipylidium caninum, os cães se contaminam ao ingerir a pulga no ato de se coçar
  • A pulga geralmente coloca em média 50 ovos por dia
  • As larvas que saem dos ovos se escondem da luz no fundo de tapetes, carpetes, frestas.
  • Quando viram pupas (casulo) podem ficar de 2 semanas a 6 meses esperando o melhor momento para se transformar em pulgas novamente
pulga

Fonte:

HIPERTERMIA MALIGNA
CARCINOMA/ADENOCARCINOMA/COLANGIOCARCINOMA DO DUCTO BILIAR
DISPLASIA RENAL
SÍNDROME DO OVÁRIO REMANESCENTE
FÍSTULA INFRAORBITÁRIA
FÍSTULA ORONASAL
CARCINOMA DE CÉLULAS ESCAMOSAS EM CÃES
COLAPSO TRANQUEIA
ESPIRRO REVERSO
HEMANGIOSSARCOMA
HEMANGIOMA CUTÂNEO CANINO
PERIODONTIA
HIPOGLICEMIA
INSULINOMA
SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA VIRAL FELINA (FIV)
TRICOBEZOAR
VÕMITO CRÔNICO EM GATOS
NEOPLASIA PROSTÁTICA
PROSTATITES
CISTOS E ABSCESSOS PROSTÁTICOS
HIPERPLASIA PROSTÁTICA BENIGNA (HPB)
AFECÇÕES PROSTÁTICAS EM CÃES
CORONAVÍRUS FELINO
CISTITE IDIOPÁTICA FELINA (CIF)
TÉTANO
UROLITÍASE
DISQUERATINIZAÇÃO
DESVIOS (SHUNTS) PORTOSSISTÊMICOS CANINOS
HIGROMA
DOENÇA DO SACO ANAL
PEDICULOSE
ISOSPOROSE
TOXOPLASMOSE
HIPERADRENOCORTICISMO CANINO / SÍNDROME CUSHING
DOENÇA RENAL CRÔNICA
ARRITMIAS CARDÍACAS
INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA
BORDETELLA
CLAMIDIOSE
ERLIQUIOSE FELINA
BABESIOSE CANINA
BARTONELOSE FELINA /ARRANHADURA DO GATO
ANAPLASMOSE OU TROMBOCITOPENIA CÍCLICA
MICOPLASMA FELINA
FEBRE MACULOSA
DERMATITE ATÓPICA CANINA / ATOPIA
DERMATITE ÚMIDA / ECZEMA ÚMIDO
FISTULA PERIANAL
HIPOADRENOCORTICISMO / DOENÇA DE ADDISON
HIPOTIREOIDISMO CANINO
PROBLEMAS NOS OLHOS
PERITONITE INFECCIOSA FELINA (PIF)
MASTOCITOMA
ENDOCARDITE BACTERIANA
LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
LARVA MIGRANS VISCERAL
LEPTOSPIROSE CANINA
DERMATOFITOSE / MICROSPORUM CANIS
DERMATITE ACRAL POR LAMBEDURA
PULGAS
DEMODICOSE CANINA/ SARNA DEMODÉCICA
DIROFILARIOSE
SARNA OTODÉCICA / SARNA DA ORELHA
SARNA SARCÓPTICA / ESCABIOSE CANINA
DIABETES MELLITUS
SÍNDROME DA DISFUNÇÃO COGNITIVA
FeLV – LEUCEMIA VIRAL FELINA
TRAQUEOBRONQUITE INFECCIOSA CANINA
DOENÇA DO TRATO URINÁRIO INFERIOR FELINOS
OTITES
RAIVA
DOENÇA PERIODONTAL
GIARDÍASE
LARVA MIGRANS CUTÂNEA
CALICIVÍRUS FELINO
HERPESVÍRUS FELINO/RINOTRAQUEÍTE VIRAL FELINA
BOTULISMO
HIPERPLASIA ENDOMETRIAL CÍSTICA E PIOMETRA
DIPILIDIOSE
PARVOVIROSE
ERLIQUIOSE CANINA
CINOMOSE