LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA

A leishmaniose visceral (LV) é uma zooantroponose de ampla distribuição mundial. A doença é endêmica em 62 países.

A principal forma de transmissão, nas Américas, ocorre através da picada do inseto vetor ou flebotomíneo Lutzomya longipalpis, que se infecta quando realiza repasto sanguíneo em um animal ou homem infectado, e transmitindo  no seu próximo repasto.

Seus nomes variam de acordo com a localidade; os mais comuns são: mosquito palha, tatuquira, birigui, cangalinha, asa branca, asa dura e palhinha.

É mais encontrado em lugares úmidos, escuros, onde existem muitas plantas.

As fontes de infecção das leishmanioses são: animais silvestres e cão doméstico.

Na Leishmaniose Cutânea os animais silvestres como os roedores silvestres, tamanduás e preguiças e Leishmaniose Visceral a raposa do campo atuam como reservatórios

Os sintomas no cão são bastante variáveis como:

*aparecimento de lesões graves na pele acompanhadas de descamações e, eventualmente úlceras

*falta de apetite

*perda de peso

*lesões oculares (tipo queimaduras); conjutivites

*atrofia muscular

*crescimento exagerado das unhas (onicogrifose)

*abdômen inchado

*problemas nos rins, no fígado e no baço

Por ter neste conjunto de sintomas diversos sinais que também podem ser associados a outras doenças, a única forma de se ter um diagnóstico preciso da leishmaniose visceral canina é por meio de uma visita a um profissional veterinário;

É importante ressaltar que há um grande número de animais infectados que não apresentam sintomas clínicos, ou seja , assintomáticos, porque a Leishmaniose pode ter uma incubação até 7 anos.

14963155_1211954438863612_4675581177097271952_n

 

HEMANGIOSSARCOMA
HEMANGIOMA CUTÂNEO CANINO
PERIODONTIA
HIPOGLICEMIA
INSULINOMA
SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA VIRAL FELINA (FIV)
TRICOBEZOAR
VÕMITO CRÔNICO EM GATOS
NEOPLASIA PROSTÁTICA
PROSTATITES
CISTOS E ABSCESSOS PROSTÁTICOS
HIPERPLASIA PROSTÁTICA BENIGNA (HPB)
AFECÇÕES PROSTÁTICAS EM CÃES
CORONAVÍRUS FELINO
CISTITE IDIOPÁTICA FELINA (CIF)
TÉTANO
UROLITÍASE
DISQUERATINIZAÇÃO
DESVIOS (SHUNTS) PORTOSSISTÊMICOS CANINOS
HIGROMA
DOENÇA DO SACO ANAL
PEDICULOSE
ISOSPOROSE
TOXOPLASMOSE
HIPERADRENOCORTICISMO CANINO / SÍNDROME CUSHING
DOENÇA RENAL CRÔNICA
ARRITMIAS CARDÍACAS
INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA
BORDETELLA
CLAMIDIOSE
ERLIQUIOSE FELINA
BABESIOSE CANINA
BARTONELOSE FELINA /ARRANHADURA DO GATO
ANAPLASMOSE OU TROMBOCITOPENIA CÍCLICA
MICOPLASMA FELINA
FEBRE MACULOSA
DERMATITE ATÓPICA CANINA / ATOPIA
DERMATITE ÚMIDA / ECZEMA ÚMIDO
FISTULA PERIANAL
HIPOADRENOCORTICISMO / DOENÇA DE ADDISON
HIPOTIREOIDISMO CANINO
PROBLEMAS NOS OLHOS
PERITONITE INFECCIOSA FELINA (PIF)
MASTOCITOMA
ENDOCARDITE BACTERIANA
LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
LARVA MIGRANS VISCERAL
LEPTOSPIROSE CANINA
DERMATOFITOSE / MICROSPORUM CANIS
DERMATITE ACRAL POR LAMBEDURA
PULGAS
DEMODICOSE CANINA/ SARNA DEMODÉCICA
DIROFILARIOSE
SARNA OTODÉCICA / SARNA DA ORELHA
SARNA SARCÓPTICA / ESCABIOSE CANINA
DIABETES MELLITUS
SÍNDROME DA DISFUNÇÃO COGNITIVA
FeLV – LEUCEMIA VIRAL FELINA
TRAQUEOBRONQUITE INFECCIOSA CANINA
DOENÇA DO TRATO URINÁRIO INFERIOR FELINOS
OTITES
RAIVA
DOENÇA PERIODONTAL
GIARDÍASE CANINA
LARVA MIGRANS CUTÂNEA
CALICIVÍRUS FELINO
HERPESVÍRUS FELINO/RINOTRAQUEÍTE VIRAL FELINA
BOTULISMO
HIPERPLASIA ENDOMETRIAL CÍSTICA E PIOMETRA
DIPILIDIOSE
PARVOVIROSE
ERLIQUIOSE CANINA
CINOMOSE