HERPESVÍRUS FELINO/RINOTRAQUEÍTE VIRAL FELINA

O herpesvírus felino tipo 1 (FHV-1) é um DNA vírus (fita dupla) envelopado, pertencente à sub-família Alphaherpesvirinae.

Tem sido comumente associada à doença do trata respiratório anterior de gatos, particularmente em filhotes.

Causa infecção aguda com tropismo por tecido termolábil , principalmente o epitélio nasal, traqueal e epitélio da córnea.

Durante a infecção aguda, o vírus atinge os neurônios do gânglio trigeminal, podendo ficar em latência neste sítio. O mecanismo de latência não envolve replicação viral no gânglio.

Aproximadamente 90% dos animais que sofreram infecção herpética tornam-se carreadores do vírus por toda a vida, tendo papel fundamental na perpetuação da infecção por meio do mecanismo de reativação viral.

Esta reativação pode ser induzida por estresse, prenhez/lactação, mudança de hábitos/rotina, introdução de um novo gato ou uso de corticóides.

Após a infecção primária, o vírus é liberado por secreções nasais, orofaríngeas e oculares pelo período de uma a três semanas.

Pelo fato de ser um vírus envelopado, este não sobrevive por muito tempo no ambiente, sendo necessário o contato direto com um animal infectado ou via aerossol, para a perpetuação do ciclo viral (fato que explica a grande prevalência em ambientes superpopulosos).

A contaminação por meio de fômites é menos comum.

A sintomatologia clínica determinada pela infecção pelo FHV-1 depende de inúmeros fatores.

A maioria dos animais primo-infectados é jovem, com o vírus rapidamente se replicando em células epiteliais das conchas nasais, traqueia e conjuntiva, e com posterior migração para o gânglio trigeminal.

A infecção aguda gera lise epitelial, com necrose local e exsudação, propiciando infecção bacteriana secundária.

 

As principais manifestações clínicas são febre, anorexia, prostração, esternutação, secreção nasal (inicia-se mucoide e evolui para purulenta), quemose, blefaroespasmo, secreção ocular e tosse.

Manifestações menos comuns incluem ulceração oral, gengivite/estomatite, dermatite facial e alterações neurológicas (raro). Úlceras de córnea, ceratite estromal e sequestro de córnea são manifestações oculares descritas com relativa prevalência.

O prognóstico em geral, as perspectivas quanto à infecção pelo FHV-1 são bastante animadoras, uma vez que a mortalidade ligada ao agente é relativamente baixa, à exceção de gatinhos jovens.

A profilaxia deve ser realizada com programas estratégicos de vacinação, correção do manejo higiênico-sanitário e isolamento de animais portadores.

Fonte: Agener União. Boletim Pet. Volume 03/2015.

TRICOBEZOAR
VÕMITO CRÔNICO EM GATOS
NEOPLASIA PROSTÁTICA
PROSTATITES
CISTOS E ABSCESSOS PROSTÁTICOS
HIPERPLASIA PROSTÁTICA BENIGNA (HPB)
AFECÇÕES PROSTÁTICAS EM CÃES
CORONAVÍRUS FELINO
CISTITE IDIOPÁTICA FELINA (CIF)
TÉTANO
UROLITÍASE
DISQUERATINIZAÇÃO
DESVIOS (SHUNTS) PORTOSSISTÊMICOS CANINOS
HIGROMA
DOENÇA DO SACO ANAL
PEDICULOSE
ISOSPOROSE
TOXOPLASMOSE
HIPERADRENOCORTICISMO CANINO / SÍNDROME CUSHING
DOENÇA RENAL CRÔNICA
ARRITMIAS CARDÍACAS
INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA
BORDETELLA
CLAMIDIOSE
ERLIQUIOSE FELINA
BABESIOSE CANINA
BARTONELOSE FELINA /ARRANHADURA DO GATO
ANAPLASMOSE OU TROMBOCITOPENIA CÍCLICA
MICOPLASMA FELINA
FEBRE MACULOSA
DERMATITE ATÓPICA CANINA / ATOPIA
DERMATITE ÚMIDA / ECZEMA ÚMIDO
FISTULA PERIANAL
HIPOADRENOCORTICISMO / DOENÇA DE ADDISON
HIPOTIREOIDISMO CANINO
PROBLEMAS NOS OLHOS
PERITONITE INFECCIOSA FELINA (PIF)
MASTOCITOMA
ENDOCARDITE BACTERIANA
LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
LARVA MIGRANS VISCERAL
LEPTOSPIROSE CANINA
DERMATOFITOSE / MICROSPORUM CANIS
DERMATITE ACRAL POR LAMBEDURA
PULGAS
DEMODICOSE CANINA/ SARNA DEMODÉCICA
DIROFILARIOSE
SARNA OTODÉCICA / SARNA DA ORELHA
SARNA SARCÓPTICA / ESCABIOSE CANINA
DIABETES MELLITUS
SÍNDROME DA DISFUNÇÃO COGNITIVA
LEUCEMIA VIRAL FELINA
TRAQUEOBRONQUITE INFECCIOSA CANINA
DOENÇA DO TRATO URINÁRIO INFERIOR FELINOS
OTITES
RAIVA
DOENÇA PERIODONTAL
GIARDÍASE CANINA
LARVA MIGRANS CUTÂNEA
CALICIVÍRUS FELINO
HERPESVÍRUS FELINO/RINOTRAQUEÍTE VIRAL FELINA
BOTULISMO
HIPERPLASIA ENDOMETRIAL CÍSTICA E PIOMETRA
DIPILIDIOSE
PARVOVIROSE
ERLIQUIOSE CANINA
CINOMOSE