ENDOCARDITE BACTERIANA

A endocardite bacteriana (EB) é a infecção do endocárdio valvular e/ou mural de baixa prevalência em cães e rara em gatos.

É caracterizada pela alta morbidade e mortalidade.

Os mais acometidos são cães machos, adultos e raças de médio a grande porte.

É necessário que haja um quadro de bacteremia, persistente ou transitório, para que ocorra a infecção do endocárdio.

Assim sendo, algumas afecções cutâneas, orais, urinárias, prostáticas ou em outros órgãos podem resultar em bacteremia e evoluir para a infecção do endocárdio.

As válvulas mais comumente afetadas em cães e gatos são a mitral e a aórtica.

Na maioria das vezes, a lesão é decorrente da colonização das válvulas por bactérias. Contudo, há relatos de infecções por fungos, riquétsias e clamídias.

Dentre os microorganismos potencialmente envolvidos destacam-se Streptococcus spp, Staphylococcus spp, Escherichia coli, Corynebacterium sp, Pasteurella spp, Boartonella clarridgeiae, dentre outras.

As manifestações clínicas dessa doença são bastante variáveis e inespecíficas,o que torna seu diagnóstico difícil.

A insuficiência cardíaca congestiva (ICC) é a consequência mais comum da EB.

A EB é diagnosticada com base nos achados ecocardiográficos em conjunto com os sintomas clínicos.

O prognóstico é reservado e a sobrevida depende do tipo de válvula infectada. Cães com infecção da válvula aórtica tem prognóstico pior.

Os sintomas clínicos frequentemente relatados são: anorexia,hipertermia, perda de peso, distúrbios gastrointestinais, claudicação intermitente (associada à poliartrite ou embolização muscular), intolerância ao exercício (associado à poliartrite ou dor em coluna e cardiopatia), taquipnéia, dispnéia, dentre outros.

A terapia envolve a administração de antibióticos bactericidas em doses altas e a longo prazo.

 

Fonte: Vets Today. Royal Canin. Agosto, 2011. Nº 10

TRICOBEZOAR
VÕMITO CRÔNICO EM GATOS
NEOPLASIA PROSTÁTICA
PROSTATITES
CISTOS E ABSCESSOS PROSTÁTICOS
HIPERPLASIA PROSTÁTICA BENIGNA (HPB)
AFECÇÕES PROSTÁTICAS EM CÃES
CORONAVÍRUS FELINO
CISTITE IDIOPÁTICA FELINA (CIF)
TÉTANO
UROLITÍASE
DISQUERATINIZAÇÃO
DESVIOS (SHUNTS) PORTOSSISTÊMICOS CANINOS
HIGROMA
DOENÇA DO SACO ANAL
PEDICULOSE
ISOSPOROSE
TOXOPLASMOSE
HIPERADRENOCORTICISMO CANINO / SÍNDROME CUSHING
DOENÇA RENAL CRÔNICA
ARRITMIAS CARDÍACAS
INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA
BORDETELLA
CLAMIDIOSE
ERLIQUIOSE FELINA
BABESIOSE CANINA
BARTONELOSE FELINA /ARRANHADURA DO GATO
ANAPLASMOSE OU TROMBOCITOPENIA CÍCLICA
MICOPLASMA FELINA
FEBRE MACULOSA
DERMATITE ATÓPICA CANINA / ATOPIA
DERMATITE ÚMIDA / ECZEMA ÚMIDO
FISTULA PERIANAL
HIPOADRENOCORTICISMO / DOENÇA DE ADDISON
HIPOTIREOIDISMO CANINO
PROBLEMAS NOS OLHOS
PERITONITE INFECCIOSA FELINA (PIF)
MASTOCITOMA
ENDOCARDITE BACTERIANA
LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
LARVA MIGRANS VISCERAL
LEPTOSPIROSE CANINA
DERMATOFITOSE / MICROSPORUM CANIS
DERMATITE ACRAL POR LAMBEDURA
PULGAS
DEMODICOSE CANINA/ SARNA DEMODÉCICA
DIROFILARIOSE
SARNA OTODÉCICA / SARNA DA ORELHA
SARNA SARCÓPTICA / ESCABIOSE CANINA
DIABETES MELLITUS
SÍNDROME DA DISFUNÇÃO COGNITIVA
LEUCEMIA VIRAL FELINA
TRAQUEOBRONQUITE INFECCIOSA CANINA
DOENÇA DO TRATO URINÁRIO INFERIOR FELINOS
OTITES
RAIVA
DOENÇA PERIODONTAL
GIARDÍASE CANINA
LARVA MIGRANS CUTÂNEA
CALICIVÍRUS FELINO
HERPESVÍRUS FELINO/RINOTRAQUEÍTE VIRAL FELINA
BOTULISMO
HIPERPLASIA ENDOMETRIAL CÍSTICA E PIOMETRA
DIPILIDIOSE
PARVOVIROSE
ERLIQUIOSE CANINA
CINOMOSE