HIPERPLASIA ENDOMETRIAL CÍSTICA E PIOMETRA

Hiperplasia Endometrial Cística (HEC), Hematometra, Hemometra, Hidrometra e Piometra são distúrbios que podem acometer no útero de fêmeas nulíparas (que nunca pariram) ou não.

A HEC é uma alteração do endométrio que pode favorecer o desenvolvimento de infecção uterina, se for invadido por bactérias oportunistas.

Na HEC, o endométrio se espessa consequentemente ao aumento do número e tamanho das glândulas endometriais.

Estas glândulas endometriais aumentam sua atividade secretória e o fluído estéril produzido por elas pode se acumular no lúmen do útero, resultando em mucometra ou hidrometra, dependendo da viscosidade do fluido.

A Piometra é um processo inflamatório do útero, caracterizado pelo acúmulo de secreção purulenta na luz uterina resultante do acumulo de liquido devido a hiperplasia endometrial cística (HEC) somada a uma infecção bacteriana. O uso de anticoncepcionais pode aumentar o risco da doença.

Em todos esses casos, é importante ficar atento aos principais sintomas para não perder tempo e aumentar o risco de vida do animal. Ocorre tanta em cadelas e gatas.

Os sintomas mais comuns são:

  • Corrimento vaginal quando presente podendo ser purulento, sanguíneo, serossanguíneo, sanguinopurulento ou mucopurulento;
  • Apatia;
  • Depressão;
  • Letargia;
  • Falta de apetite;
  • Aumento da ingestão de água e da produção de urina (polidipsia/poliúria);
  • Vômito;
  • Diarreia;
  • Distensão abdominal (barriga inchada);
  • Febre pode ou não estar presente;
  • Anorexia/disorexia.

O diagnóstico: 

  1. A Piometra pode ser classificada como aberta ou fechada, aberta apresenta o corrimento vaginal e a fechada não.
  2. A Piometra de de colo fechado é considerada mais grave.
  3. A Piometra é uma doença que, se não tratada corretamente, pode levar ao óbito devido ao quadro infeccioso e à insuficiência renal.
  4. Animais com mais de 5 anos de idade são mais suscetíveis a apresentar a enfermidade.
  5. Para diagnosticar a Piometra em cadelas, além da anamnese e solicitado exame de ultrassonografia.
  6. O tratamento é cirúrgico, com a realização da ovariosalpingohisterectomia (castração).
  7. O período mínimo de internação é de 48 horas, momento em que também devem ser solicitados exames para controlar e monitorar a infecção.
  8. E atenção ao pós-operatório! Nessa fase, a cadela precisará de atenção especial, com uso de analgésicos, roupa e colar cirúrgico. 

Referência Bibliográfica:

Medicina Interna de Pequenos Animais. Parte 8. Cap. 57. Vol 1.

INTOXICAÇÃO POR BUFOTOXINAS EM CÃES
TUMORES MAMÁRIOS
FÍSTULAS PERIANAIS
PERIODONTIA / DOENÇA PERIODONTAL
HEPATITE INFECCIOSA CANINA
PARAINFLUENZA
CORONAVIROSE
ADENOVIROSE CANINA
OFTALMOLOGIA VETERINÁRIA
CELULITE JUVENIL CANINA
HIPERTERMIA MALIGNA
CARCINOMA/ADENOCARCINOMA/COLANGIOCARCINOMA DO DUCTO BILIAR
DISPLASIA RENAL
SÍNDROME DO OVÁRIO REMANESCENTE
FÍSTULA INFRAORBITÁRIA
FÍSTULA ORONASAL
CARCINOMA DE CÉLULAS ESCAMOSAS EM CÃES
COLAPSO TRANQUEIA
ESPIRRO REVERSO
HEMANGIOSSARCOMA
HEMANGIOMA CUTÂNEO CANINO
ODONTOLOGIA VETERINÁRIA
HIPOGLICEMIA
INSULINOMA
SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA VIRAL FELINA (FIV)
TRICOBEZOAR
VÕMITO CRÔNICO EM GATOS
NEOPLASIA PROSTÁTICA
PROSTATITES
CISTOS E ABSCESSOS PROSTÁTICOS
HIPERPLASIA PROSTÁTICA BENIGNA (HPB)
AFECÇÕES PROSTÁTICAS EM CÃES
CORONAVÍRUS FELINO
CISTITE IDIOPÁTICA FELINA (CIF)
TÉTANO
UROLITÍASE
DISQUERATINIZAÇÃO
DESVIOS (SHUNTS) PORTOSSISTÊMICOS CANINOS
HIGROMA
DOENÇA DO SACO ANAL
PEDICULOSE
ISOSPOROSE
TOXOPLASMOSE
HIPERADRENOCORTICISMO CANINO / SÍNDROME CUSHING
DOENÇA RENAL CRÔNICA
ARRITMIAS CARDÍACAS
INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA
BORDETELLA
CLAMIDIOSE
HEMOPARASITOSES EM GATOS
DERMATITE ATÓPICA CANINA / ATOPIA
DERMATITE ÚMIDA / ECZEMA ÚMIDO
HIPOADRENOCORTICISMO / DOENÇA DE ADDISON
HIPOTIREOIDISMO CANINO
PROBLEMAS NOS OLHOS
PERITONITE INFECCIOSA FELINA (PIF)
MASTOCITOMA
ENDOCARDITE BACTERIANA
LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA
LARVA MIGRANS VISCERAL
LEPTOSPIROSE CANINA
DERMATOFITOSE / MICROSPORUM CANIS
DERMATITE ACRAL POR LAMBEDURA
PULICIOSE – PULGAS
DEMODICOSE CANINA/ SARNA DEMODÉCICA
DIROFILARIOSE
SARNA OTODÉCICA / SARNA DA ORELHA
SARNA SARCÓPTICA / ESCABIOSE CANINA
DIABETES MELLITUS
SÍNDROME DA DISFUNÇÃO COGNITIVA
FeLV – LEUCEMIA VIRAL FELINA
TRAQUEOBRONQUITE INFECCIOSA CANINA
DOENÇA DO TRATO URINÁRIO INFERIOR FELINOS
OTITES
RAIVA
GIARDÍASE
LARVA MIGRANS CUTÂNEA
CALICIVÍRUS FELINO
HERPESVÍRUS FELINO/RINOTRAQUEÍTE VIRAL FELINA
BOTULISMO
HIPERPLASIA ENDOMETRIAL CÍSTICA E PIOMETRA
DIPILIDIOSE
PARVOVIROSE
HEMOPARASITOSES EM CÃES
CINOMOSE